Viaduto de Millau

Maravilhas construídas pelos homens, as pontes têm a função de ligar pontos inacessíveis separados pela natureza ou por obstáculos artificiais. A construção das pontes permite a passagem e transposição de pessoas, veículos e outros meios de transporte. As pontes podem ser estruturadas em arco, em viga reta, em viga caixão, podem ser suspensas e estaiadas. Sobre esse assunto em especial, as pontes, iremos abordar as curiosidades de uma desafiadora obra de engenharia, a Ponte Viaduto de Millau, a ponte mais alta do mundo.  

A Ponte Viaduto de Millau, localizada no vale do rio Tarn perto de Millau (sul da França), é a ponte mais alta do mundo, com 336,4 m de altura estrutural. Com estrutura estaiada de múltiplos vãos, o Viaduto de Millau faz parte do eixo da autoestrada A75 de Paris a Béziers e Montpellier. A construção da ponte surgiu com a necessidade de vencer o vale profundo do rio Tarn e reduzir o tempo de percurso das viagens. Seu projeto foi liderado pelo engenheiro estrututral Michel Virlogeux e pelo famoso arquiteto inglês Norman Foster. Inaugurada em 14 de Dezembro de 2004, a Ponte Viaduto de Millau foi um grande desafio para a engenharia moderna e ganhou o Prêmio de Estrutura de Destaque 2006 da Internacional Association for Bridge and Structural Engineering.

O projeto da Ponte Viaduto de Millau passou por várias etapas de estudo e tomadas de decisões envolvendo as possíveis rotas e a solução estrutural para a construção da ponte. Os primeiros estudos para a construção da ponte foi realizado 1987, no entanto a tomada de decisão para a construção de uma travessia de 2.500 metros sob o rio Tarn foi em outubro de 1991. Desde então, o governo consultou vários arquitetos e engenheiros para a construção da ponte até que, em 1995, o governo solicitou projetos para a construção da travessia por meio de uma competição. Desta forma, em Julho de 1996, o júri decide pela construção de uma ponte estaiada com vãos múltiplos, proposta sugerida pela Sogelerg, consórcio liderado engenheiro Michel Virlogeux e  Norman Foster. 

Projetada para 120 anos de vida útil, o Viaduto de Millau, uma ponte estaiada com vão múltiplos, é composto por um tabuleiro de aço dividido em oito trechos, suportado por cabos de aço estaiados ancorados em sete torres de aço, sendo cada uma das torres apoiadas em grandes pilares de concreto. O tabuleiro, de 36.000 toneladas, tem seis vãos internos centrais de 342 m e  dois vãos de extremidade de 204 m, totalizando um comprimento total de 2460 m. Com duas faixas de tráfego de cada lado, a pista de rolagem tem curvas suaves de 20 km de raio e uma declividade de 3%, garantindo boas condições de visibilidade. Os pilares, com seção variável da base até o topo, medem de 77 até 246 m. Para as fundações, foram escavados 4 poços com 5 m de diâmetro e 15 metros de profundidade para cada um dos pilares em concreto. Uma laje de 3 a 5 metros de espessura foi executada para garantir a transição entre os poços profundos e os pilares de concreto.

Iniciada em 10 de outubro de 2001, a construção da ponte Viaduto de Millau enfrentou vários desafios como o vento e as tempestades impostos pelas condições climáticas. Declarada a vencedora do concurso em 2001, a Eiffage estabeleceu a subsidiária Compagnie Eiffage du Viaduc de Millau (CEVM) para o início das obras. A construção da ponte iniciou pelas fundações com as escavações e concretagem dos poços profundos. Posteriormente, iniciou a execução dos pilares de concreto de alta resistência com o uso de formas de aço. O tabuleiro de aço da ponte foi construído em solo firme em ambas as extremidades do viaduto e deslocado para os pilares por meio de um sistema hidráulicos. O sistema hidráulico era composto por equipamentos instalados nas extremidades do viaduto e em cada um dos pilares de concreto. Neste processo construtivo foi necessária a construção de torres de aço intermediárias para o apoio do tabuleiro. A etapa final da construção da ponte foi a instalação das torres de aço e colocação dos cabos de aço. Com um custo de 400 milhões de euros, a construção durou três anos, sendo utilizado 127 mil metros cúbicos de concreto, 19 mil toneladas de aço para concreto armado, 5 mil toneladas de aço protendido para cabos e blindagens e 36 mil toneladas de aço para o tabuleiro.

Notoriamente, é possível perceber que o avanço da tecnologia e da engenharia foi essencial para a concretização da Ponte Viaduto de Millau, considerada uma das maiores obras de engenharia do mundo. Mais de 15 anos já se passaram e a ponte ainda continua sendo a ponte mais alta do mundo. Aquilo que um futuro altamente tecnológico e moderno promete foi alcançado em um passado não muito distante. Segundo Norman Foster, quando um motorista passa pelo Viaduto de Millau ele tem a sensação de estar  voando ficando literalmente sobre as nuvens. Atualmente, no Brasil, a nova de norma ABNT NBR 16694:2020 – Projeto de Pontes Rodoviárias de Aço e Mistas de Aço e Concreto foi divulgada pelo Centro Brasileiro de Construção em Aço. No que tange as pontes estaiadas, para fim de curiosidade, a maior ponte estaiada do Brasil foi construída sobre o rio Negro, no Amazonas, ligando as cidades de Manaus e Iranduba.

Prof. Caio Cezar C. Silva

Gostou dessas informações? Você sabia que esses e outros temas são amplamente debatidos nas disciplinas de Pontes e Concreto no curso de Engenharia Civil?

Ainda está pensando se vai fazer sua matrícula?

Corra e garanta sua vaga já!

http://www.feitep.edu.br/inscreva

Referências

https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_tallest_bridges

https://pt.wikipedia.org/wiki/Viaduto_de_Millau

https://en.wikipedia.org/wiki/Millau_Viaduct

Versão Iterativa da Comparação das Pontes

https://en.wikipedia.org/wiki/Millau_Viaduct#/media/File:Comparison_of_notable_bridges_SMIL.svg

Imagens e Literatura Internacional

https://structurae.net/en/structures/millau-viaduct

Site Oficial do Viaduto de Millau

O site oferece um mapa interativo com os pontos importantes de toda estrutura: 

https://www.leviaducdemillau.com/en/carte-interactive#

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *