Ponte Akashi Kaikyo – Japão

Admiradas por muitas pessoas, as pontes têm a função de unir o que é separado pela natureza. A ponte é uma forma do homem expressar o seu domínio sobre as forças da natureza. Na engenharia, vencer os conflitos de direção de movimento do homem e da natureza (rios e lagos) e transpor obstáculos são os objetivos de uma ponte. As pontes podem ser estruturadas em arco, em viga reta, em viga caixão, podem ser estaiadas e suspensas. Sobre esse assunto em especial, as pontes, iremos abordar as curiosidades de uma gigantesca obra de engenharia, a Ponte Akashi Kaikyo, a maior ponte do mundo.  

A Ponte Akashi Kaikyo, localizada no estreito de Akashi (Japão) entre a cidade de Kobe e a ilha Awaji, é considerada a ponte com vão mais extenso do mundo, com 1991 m entre as torres de sustentação e 3911 m de comprimento total. A necessidade de construção da ponte surgiu com o intuito de estabelecer uma conexão das ilhas Honshu, Awaji e Shikoku, estimulando o desenvolvimento econômico e o cultural do oeste japonês.

O projeto da ponte contou com a experiência de muitos anos de engenharia sendo baseado em seis pontes até então construídas. As pontes Ironbridge, Golden Gate e Verrazano Narrows merecem destaque especial, pois contribuíram gradativamente no avanço tecnológico da engenharia e construção de pontes. A ponte Ironbridge influenciou na escolha do material utilizado, o aço, proporcionando uma estrutura mais leve. A construção das torres da Ponte Akashi Kaikyo foi realizada com placas pré-fabricadas de aço, processo utilizado na Ponte Golden Gate. O tabuleiro da Ponte Akashi Kaikyo foi inspirado pela Ponte Verrazano Narrows, garantindo maior rigidez a torção e maior permeabilidade ao vento.        

A construção da ponte iniciou em 1988 em maior de 1988 e durou cerca de 10 anos, sendo inaugurada em 5 de Abril de 1998 com uma cerimonia com o príncipe e princesa do Japão e desfie de 1500 pessoas. A construção da ponte enfrentou vários desafios como o vão da ponte, condições severas de corrosão atmosférica, suspensão dos cabos e sistemas de ancoragens, profundidade da água, ação do vento e ação sísmica. Os materiais utilizados para a construção foram 1,4 metros cúbicos de concreto e 181 mil toneladas de aço. A quantidade de aço utilizada nos cabos da ponte dava pra dar sete voltas e meia em torno da Terra. Durante a construção, em 1995, ocorreu o terremoto Hyogo-ken Nanbu, provocando um deslocamento de 1 m das torres. 

Assim como toda ponte suspensa, a Akashi Kaykio tem um sistema estrutural composto por vigas treliçadas, cabos principais, torres principais, pendurais e ancoragens. O tabuleiro contínuo, em vigas treliçadas, é sustentado por vários cabos metálicos (pendurais) ligados aos dois cabos principais, que são apoiados nas torres e ancorados nas extremidades. Por meio de uma transmissão indireta de forças, as ações do tabuleiro são transferidas para os cabos principais por meio dos pendurais. Os cabos principais comprimem as torres, que transferem os esforços de compressão para as fundações. Nas fundações, com os avanços tecnológicos, enormes escavadeiras retiraram a lama do rio a 60 m de profundidade e dois enormes caixões de concreto foram executados para compor as bases paras ambas as torres.

Notadamente, é possível perceber que o avanço da tecnologia e da engenharia ao longo do tempo foi crucial para o projeto e a construção da Ponte Akashi Kaykio, considerada uma das maiores obras de engenharia do mundo. Após 20 anos de inovação e modernização na engenharia, a Ponte Akashi Kaikyo ainda continua sendo a ponte mais extensa e mais alta em operação. No entanto, no Estreito de Messina, no sul da Itália, uma ponte suspensa com 3300 metros de vão livre foi projetada para ligar Silícia e Calabria. O projeto italiano foi cancelado em 23 de fevereiro de 2013 pelo governo em virtude de restrições orçamentarias. A ponte teria sido a ponte suspensa mais longa do mundo com um vão 65% maior que o da Ponte Akashi Kaikyo. Atualmente, no Brasil, o Centro Brasileiro de Construção em Aço anunciou a nova de norma ABNT NBR 16694:2020 – Projeto de Pontes Rodoviárias de Aço e Mistas de Aço e Concreto. No que tange as pontes suspensas, a Ponte Hercílio Luz (a maior ponte suspensa do Brasil), localizada em Florianópolis-SC, foi reaberta em 30 de Dezembro de 2019 após as obras de restauração. 

Prof. Caio Cezar C. Silva

Você sabia que esses e outros temas são amplamente debatidos nas disciplinas de concreto e pontes em nosso curso de Engenharia Civil?

Ainda está pensando se vai fazer sua matrícula?

Corra e garanta sua vaga já!

http://www.feitep.edu.br/inscreva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *