Egressa Yara Marchini

Yara Marchini, de 31 anos, fez uma primeira graduação em jornalismo, mas um emprego na área de automação industrial acabou levando a recém-formada para um caminho profissional bem diferente. Interessada pelo novo setor em que estava inserida, Yara buscou uma especialização em Engenharia Elétrica.

“Escolhi esse curso porque se trata de um curso com uma base bastante abrangente, que poderia me proporcionar um crescimento profissional maior”, relata a jovem, atualmente trabalhando como engenheira eletricista ainda na área de automação industrial.

Yara fez a segunda graduação na FEITEP – Faculdade de Engenharias e Arquitetura e, ao fazer a escolha da faculdade em que estudaria, levou em consideração algumas referências de colegas que trabalhavam na mesma empresa e o fato da instituição ser especializada no ensino de Engenharias e Arquitetura.

“Os cinco anos que passei na FEITEP foram muito felizes. Desde o primeiro semestre, o entrosamento entre a turma e o corpo docente foi muito bom. Sempre tive a impressão de que a FEITEP é uma grande família, o acesso às coordenações e direção sempre foi muito facilitado e isso foi algo que sempre me agradou”, revela a eletricista.

As disciplinas ligadas a sua profissão foram as que mais a atraíram, como linguagem de programação, instrumentação eletrônica e redes industriais. Outras, que não estavam ligadas diretamente à automação industrial, também foram importantes para a vida acadêmica de Yara: GTD (Geração, Transmissão e Distribuição), Máquinas e Transformadores e Linhas de Transmissão.

O corpo docente preparado e especializado da FEITEP ajudou a aluna a passar por algumas matérias mais difíceis, que chegam a causar medo nos alunos da Engenharia Elétrica, como ela mesmo relata. A egressa cita as aulas de Eletromagnetismo, ministradas com maestria pela professora Mislayne.

Morando temporariamente em Goiás, onde trabalha na implementação de um sistema de automação no segundo maior terminal intermodal da américa do sul, Yara diz que foi privilegiada ao poder fazer o caminho inverso, em que o mercado a levou a fazer o curso de graduação, e não o contrário. Ela reconhece a importância dos conhecimentos básicos no exercício da profissão, como eletricidade básica, algoritmo e linguagem de programação, que são de grande ajuda no dia a dia.

No futuro, a eletricista pretende se especializar na área de gestão, pois acredita ser essencial para atuação em Engenharia, tem vontade de fazer especialização em Redes Industriais, com foco na atual área de atuação, e também em Segurança no Trabalho, com o objetivo de melhorar as práticas de trabalho e abrir novas possibilidades no caminho profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *