A tarifa branca

A tarifa branca é uma modalidade tarifária opcional, ou seja, o consumidor tem a opção de aderir ou não, podendo desistir a qualquer momento, caso não tenha mais interesse (Schio, 2018).

Esse tipo de tarifação tornou-se disponível para alguns consumidores do grupo B a partir de 1º de janeiro de 2018, aplicada às unidades consumidoras do grupo B, com exceção do subgrupo B4 e as subclasses Baixa Renda do subgrupo B1 e inicialmente para as unidades consumidoras que possuíam média anual de consumo superior a 500 kWh por mês (ANEEL, 2016b).

A tarifa branca foi criada para favorecer consumidores com maior conscientização no consumo de energia elétrica. 

Os postos tarifários desse tipo de tarifa são denominados: ponta, fora de ponta e intermediário, conforme detalhado na figura a seguir (Santos, 2014).

Fonte: ANEEL (2011)

A partir de 1º de janeiro de 2020, a tarifa branca começou a ser disponível para todos os consumidores em baixa tensão (residências, pequenos comércios, por exemplo).

A tarifa branca é vantajosa quando o consumidor adota hábitos que priorizem o consumo da energia elétrica fora do período de ponta, diminuindo fortemente o consumo neste horário e no intermediário. A opção por esse tipo de tarifa oferece a oportunidade de reduzir o valor da conta de energia paga pela energia consumida.

Porém, a tarifa Branca não é recomendada quando o consumo for maior nos períodos de ponta e intermediário e quando não houver possibilidade de transferir o uso da energia elétrica para o período fora de ponta. Nesse caso, a tarifa branca pode resultar em uma conta maior: nessa situação, é mais vantajoso continuar na tarifa convencional.

É importante ressaltar que o consumidor, antes de realizar a escolha pela tarifa branca, sugere ao consumidor entender seu consumo de energia elétrica e a relação entre a tarifa branca e a convencional.

A opção pela tarifa branca faz com que o consumidor seja disciplinado no gerenciamento de seu consumo, pois o horário de utilização da energia elétrica é fundamental para a economia na sua conta de luz.

Para os consumidores residenciais, os aparelhos elétricos que mais contribuem para o aumento no consumo de energia elétrica no período de ponta são o chuveiro elétrico e os equipamentos de condicionamento ambiental, como por exemplo, o ar-condicionado e aquecedores. Esses equipamentos elétricos, por apresentarem um elevado consumo de energia elétrica em comparação aos demais equipamentos elétricos é fundamental  utilizá-los nos períodos de fora de ponta para definir se a adesão à tarifa branca é vantajosa para o consumidor.

Professor Jackson Tsukada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *